Quer que eu desenhe?

#2 Quer que eu desenhe? – Como diferenciar Gaturamos

Euphonia violacea, euphonia chlorotica, euphonia chalybea, euphonia laniirostris, euphonia xanthogaster, diferenças entre

Mesmo aqueles que apenas recentemente iniciaram na observação de aves já devem ter percebido que existem diversas famílias de aves com espécies muito parecidas entre si. Um desses exemplos corresponde aos Fringilidae, família à qual pertencem 27 espécies de gaturamos, com 13 ocorrendo no Brasil, e onde 6 desses ilustres (e lindos) membros podem ser comumente confundidos por quem ainda está com o olhar menos treinado. São eles o Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea), o Fim-fim (E. chlorotica), o Cais-cais (E. chalybea), o Fim-fim-grande (E. xanthogaster) e, na porção norte do país, o Gaturamo-de-bico-grosso (E. laniirostris) e o Gaturamo-de-barriga-branca (E. minuta).

Esses “primos” fazem parte do segundo post da série “Quer que eu desenhe?”, onde ilustramos características de diferenciação que muitas vezes passam despercebidas a quem está aprendendo sobre aves. Essas diferenciações aqui postadas serão graduadas em diferentes níveis de dificuldade, para auxiliar entusiastas de diferentes níveis de conhecimento.

Como são muitas as aves comparadas neste post, separamo-las aos pares, agrupadas de acordo com a semelhança entre si. Abaixo de cada gráfico explanamos de forma mais detalhada cada uma das diferenças listadas. Os gráficos aparecerão em ordem crescente de dificuldade; assim nosso leitor terá a oportunidade de ir treinando seu olhar no decorrer do post a fim de conseguir perceber mais facilmente as diferenças.

1 – Fim-fim (Euphonia chlorotica) e Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea)

São respectivamente os fringilídeos mais abundantes em nosso país, ocorrendo praticamente em todo o território, com alguma restrição à região amazônica e Caatinga. Por serem os mais facilmente encontrados, são os mais conhecidos pelas pessoas em geral e, por isso, acabam gerando uma certa confusão em leigos e iniciantes na observação de aves.

Euphonia-violacea-Euphonia-chlorotica- diferenciacao

Podem ser facilmente separados pela cor da garganta, que no Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea) é amarela como o peito e no Fim-fim (Euphonia chlorotica) é azul como a face. Também há uma ligeira diferença em relação à extensão do amarelo na testa da ave, sendo mais extenso em Euphonia chlorotica. Embora possuam uma diferença na coloração do dorso, sendo o primeiro de um azul mais claro, ressaltamos que essa diferença pode ficar imperceptível de acordo com a luminosidade ou sofrer variação de indivíduo para indivíduo em decorrência da idade, muda de penas ou outros fatores.

2 – Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea) e Cais-cais (Euphonia chalybea)

Nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul há outro frigilídeo que, até certo ponto, pode gerar confusão em quem não está habituado a essas espécies, o Cais-cais (Euphonia chalybea).

Diferencas entre gaturamo e fim fim Euphonia-violacea-Euphonia-chlorotica- diferenciacao

Diferentemente do Gaturamo-verdadeiro, o Cais-cais (Euphonia chalybea) é de um azul mais esverdeado, característica que pode ficar bem visível quando incide sobre seu dorso a luz do sol. Seu bico é visivelmente mais robusto, o que lhe confere um aspecto mais curto em relação aos demais Euphonia. Quanto à nódoa amarela na testa, sua extensão é bem pequena em relação as demais aves apresentadas até aqui. Possui também o mento (parte imediatamente abaixo do bico) e garganta azuis, mas diferentemente do Fim-fim (Euphonia chlorotica) este azul não chega até a altura do peito da ave.

3 – Gaturamo-de-barriga-branca (Euphonia minuta) e Fim-fim (Euphonia chlorotica)

Na região amazônica, um quarto fringilídeo pode gerar alguma confusão por ser bem semelhante ao Fim-fim (Euphonia chlorotica): é o Gaturamo-de-barriga-branca (Euphonia minuta). Diferente das demais aves apresentadas até aqui, tem predileção pela parte mais alta das árvores. Por essa razão é bem menos conhecido que os demais.

Euphonia minuta e euphonia chlorotica

Ao contrário do Cais-cais (Euphonia chalybea), o Gaturamo-de-barriga-branca (Euphonia minuta) possui um bico mais longo do que os demais Euphonia, o que lhe confere um aspecto mais pontiagudo. Sua nódoa amarela na testa se assemelha em tamanho à do Cais-cais, se estendendo até o meio do olho, uma característica bem importante para diferenciá-lo do Fim-fim (Euphonia chlorotica). Uma última diferença bem mais sutil diz respeito ao formato da “gola” da ave, que apresenta um desenho mais retilíneo em Euphonia minuta do que em Euphonia chlorotica.

 

4 – Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea) e Gaturamo-de-bico-grosso (Euphonia laniirostris)

Também na região Amazônica, e se estendendo ao Brasil central, um outro fringilídeo pode gerar confusão na hora de identificá-lo, o Gaturamo-de-bico-grosso (Euphonia laniirostris), bastante semelhante ao Gaturamo-verdadeiro (Euphonia violacea).

Euphonia violacea Euphonia laniirostris

Apesar do nome, a diferença acerca do bico é bem pequena para utilizarmos como diagnose, especialmente tendo em vista que encontros com essas aves em campo tendem a serem rápidos e à distância, o que impossibilitaria uma visão privilegiada do bico, além do que, sem um parâmetro de comparação de um bico com o outro, dificilmente conseguiríamos chegar a uma conclusão definitiva sobre a identificação da ave. Vamos então à característica que realmente pode diferenciar essas duas aves tão semelhantes: a mancha amarela na testa, que no caso do Gaturamo-de-bico-grosso (Euphonia laniirostris) possui praticamente 2x mais extensão do que na espécie anterior, chegando até o píleo da ave, ultrapassando bem o alinhamento dos olhos da mesma.

5 – Fim-fim-grande (Euphonia xanthogaster) e Fim-fim (Euphonia chlorotica)

Na região amazônica e na faixa mais oriental da Mata Atlântica das regiões Sudeste e Nordeste, uma outra espécie de Euphonia pode gerar grande confusão, sendo eleita por nós como a mais difícil de se diferenciar quando comparada a outra ave do gênero, o Fim-fim-grande (Euphonia xanthogaster), altamente semelhante ao seu xará, o Fim-fim (Euphonia chlorotica).

Euphonia xanthogaster e Euphonia chlorotica

Essas duas aves são tão semelhantes que podem gerar dúvidas mesmo em observadores mais experientes. Por isso separamos aqui algumas características que podem auxiliá-lo na diferenciação das duas aves em circunstâncias onde não se pode ouvir o canto. O Fim-fim-grande (Euphonia xanthogaster), assim como o Gaturamo-de-bico-grosso (Euphonia laniirostris), possui sua mancha amarela mais extensa em relação ao Fim-fim (Euphonia chlorotica). Porém essa característica pode não ser tão facilmente observada quanto no caso anterior, devido à existência de uma subespécie de Fim-fim (Euphonia chlorotica chlorotica) na qual sua mancha amarela também alcança a parte de trás dos olhos. Outra diferença entre as duas aves, que inclusive dá nome a uma das espécies, é a cor da barriga, que em xanthogaster é de um amarelo bem mais vivo (xanthogaster = xantho – amarelo / gaster – barriga).
Neste caso, conseguimos diferenciá-los prestando atenção a um detalhe bastante sutil, mas decisivo para a identificação dos mesmos: a presença de azul próximo à narina da ave, imediatamente acima do bico, que pode ser percebida no Fim-fim (E. chlorotica), mas inexistente no Fim-fim-grande (Euphonia xanthogaster)

Gostou de nossa dica? Compartilhe o post com seus amigos!

Deixe também seu comentário dizendo o que achou e sugerindo novas espécies que você gostaria de aprender a diferenciar por meio de ilustrações!

Comentários

Comentários

Article written by:

Designer de produto por formação e observador de aves por paixão. Não consigo lembrar exatamente quando comecei a observar aves mas foi na infância. Aos 10 ganhei o livro 'Aves da grande Belém' publicação do Museu Goeldi e esse foi, por muito tempo, meu companheiro inseparável. Hoje busco estudar seriamente tudo sobre as aves e aproveito a facilidade com o desenho para também ilustrá-las. Atualmente administro a página Birdwatching Brasil, no Facebook, como forma de apoio e fomento à observação de aves.