Quer que eu desenhe?

#1 Quer que eu desenhe? – Diferenciando Todirostrum

Teque-teque-vs-ferreirinho-relogio

Para quem está dando seus primeiros passos na observação de aves, até mesmo algumas identificações simples para os birdwatchers experientes podem dar certo trabalho.

Um desses casos é dos pequeninos ferreirinho-relógio e teque-teque, ambos do gênero Todirostrum.
Por isso, elegemos essas duas avezinhas para o primeiro post da série “Quer que eu desenhe?”. Nessa série, ilustramos aqui algumas características de diferenciação que muitas vezes passam despercebidas a quem está aprendendo sobre aves. Essas diferenciações aqui postadas serão graduadas em diferentes níveis de dificuldade, para auxiliar entusiastas de diferentes níveis de conhecimento.

E então, como diferenciá-los?

Pela nódoa amarela no loro (região da testa da ave), diria a maioria dos observadores (1). Mas, o que dizer de casos em que a cabeça da ave não é visível? E se a ave estiver de costas ou se justamente essa região estiver encoberta? Aqui seguem algumas breves dicas ilustradas apontando características que permitem diferenciá-los nessas circunstâncias.

como diferenciar teque teque e ferreirinho relógio

2- Cor da íris. Em T. poliocephalum a íris é de um amarelo mais vivo, próximo a um tom de gema, ao passo que em T. cinereum a íris é de um amarelo pálido.

3- Cor das auriculares: Nota-se que em T. poliocephalum essa região possui tons oliváceos, ao passo que em T. cinereum são acinzentadas.

4- Cauda vista por cima: No caso de a ave ser vista por cima, é notável duas diferenças entre essas espécies. T. poliocephalum apresenta cauda de tons que vão do acinzentado ao oliváceo com marginações amarelas, ao passo que em T. cinereum elas são de um cinza bem escuro, beirando o preto, com as pontas e bordas laterais brancas.

5- Cauda vista por baixo: Vistas por baixo, as retrizes de Todirostrum cinereum possuem as pontas brancas, já no Todirostrum poliocephalum elas são de cor uniforme, sem barras ou manchas visíveis.

Gostou de nossa dica? Compartilhe o post com seus amigos!

Deixe também seu comentário dizendo o que achou e sugerindo novas espécies que você gostaria de aprender a diferenciar por meio de ilustrações!

Comentários

Comentários

Article written by:

Arquiteto e Urbanista, Ilustrador, e há 6 anos observador de aves. Também apaixonado por artes, juntou na ilustração ornitológica suas duas grandes paixões, o desenho e as aves. Além das periódicas saídas para observação de aves, utiliza também da internet como meio de troca de experiências e aprendizado sobre as aves, administra atualmente diversos grupos como o Faceaves, Identificação Ornitológica e Anjos Alados. Também é representante do COA Aves do Vale do Aço e membro da Ecoavis. Como ilustrador já participou de feiras e exposições em sua região e teve seu trabalho em destaque na revista Atualidades Ornitológicas edições 190 e 201.