Música de Passarinho

#1 Música de passarinho: Acauã, a ave que chama seca para o sertão

Acauã (Herpetotheres cachinnans) - Música Luiz Gonzaga e Zé Dantas

As aves sempre despertaram o interesse e a curiosidade das pessoas. Além de alimentar o ser humano, elas têm sido importante fonte de inspiração para a música, a arte, lendas e crendices. A principal fonte de tudo isso são os diferentes sons que as aves emitem. Harmonia, melodia e ritmo, os três elementos básicos da música, estão presentes na voz das aves. Por este motivo, pode-se dizer que aves fazem música muito antes dos humanos.

Muitas composições de grandes nomes da música clássica apresentam elementos inspirados no canto dos pássaros. E não há lugar no mundo onde as pessoas não tenham feito ligação entre os fraseados emitidos pelas aves e a fala humana. Cantos onomatopeicos são comuns em qualquer língua. E essa forma que humanos têm de reconhecer palavras de sua própria língua na língua dos pássaros tem criado diversas crenças em relação a esses animais cobertos de penas e lendas. É sobre isto a nossa nova série: Música de passarinho.

O acauã

Dizem que seu canto é de mau agouro. Os matutos o temem, dizendo que aquela voz traz a maldição, a seca e a morte. Muitos nem conhecem a ave a não ser pela voz. Já ouvi dizer que é um pombo grande, branco. Certo é que o dueto que diz “Deus quer um” não é bem-vindo. Afinal, ninguém quer ser ceifado do mundo dos viventes, por mais pelejado que esteja. As aves começam a cantar timidamente, soltando sílaba única, até que o ânimo lhes atinge e o canto começa a se formar, de pouco em pouco, até o fraseado ser completo. E tenebroso. Parece um som onipresente e penetrante. Carrega consigo a melancolia e as dores do sertão. Ou talvez a alegria do renovo e dos rebentos de esperança que a chuva traz. Sentimentos às vezes são inexpressíveis e indecifráveis.

O acauã é cercado de lendas. Cada povo o vê com olhos diferentes e o ouve com ouvidos afinados em distintos tons. Os índios dizem que quem ouve o canto terrível da ave começa a sofrer de desejo compulsivo de imitá-la. E adoece. Definha imitando aquele canto contagiante. E pode contagiar outras pessoas com aquele mal horrível. Os sertanejos dizem que o acauã pode ser um prelúdio de bons ou maus tempos. De seca ou chuva. De vida sofrida ou fartura. Alguns dizem que quando o bicho canta perto de uma moradia, alguém da casa vai morrer.

A música “Acauã”, de Zé Dantas, sucesso na voz de Luiz Gonzaga, apresenta uma visão dessas crendices populares, passando um pouco do que o canto dessa ave significa para o sertanejo nordestino.

Ouça abaixo este clássico da Música Brasileira:

 


Ficha Técnica:

A hitória do Nordeste na Voz de Luiz Gonzaga

Música: Acauã

Álbum: A História do Nordeste na Voz de Luiz Gonzaga
Compositor: Zé Dantas
Gravadora: RCA
Ano: 1954


Referências bibliográficas:

Comentários

Comentários

Article written by:

Biólogo, mestrando em Zoologia pela Universidade Federal de Minas Gerais, tem por hobby a observação de aves, a produção literária, o estudo da linguística e o aprendizado de línguas, sobretudo indo-europeias. Já publicou artigos na revista Atualidades Ornitológicas e recentemente no E-bird Brasil.